Treino funcional na fisioterapia esportiva

treino funcionalTreino funcional é uma terminologia com a qual nos deparamos muitas vezes no meio esportivo. Profissionais dizem realizar reabilitação com métodos funcionais, há cursos dos mais variados no mercado com tal terminologia, porém nem sempre paramos e pensamos: mas o que é ser funcional? Qualquer coisa só pode ser chamado de funcional se desempenha realmente a melhora de uma função no corpo. Por mais que pareça óbvio, simplesmente adicionar um elástico preso a uma extremidade não quer dizer que meu treinamento se tornou funcional. Fazer um programa de fortalecimento sobre cama elástica ou posicionar um disco sob pés ao realizar uma prancha do CORE é ser funcional? Pendurar uma tira no teto realizar um crucifixo é funcional? Um exercício difícil de ser executado é uma coisa, se ele é funcional pode ser outra.

funcional3É preciso que os profissionais e principalmente os fisioterapeutas do esporte comecem a tomar consciência das prescrições de exercícios e movimento que fazem com seus atletas. É imprescindível que no esporte a reabilitação seja voltada totalmente para o gestual esportivo que o atleta desempenha em sua prática, deste modo antes de se implementar qualquer treino funcional, o fisioterapeuta deve conhecer o esporte em questão, analisar a biomecânica básica necessária a ser restabelecida (seja ela um arremesso, um salto, um chute, uma rotação de tronco, etc.) e assim possa direcionar o trabalho.

Um exemplo básico é o treinamento dos músculos do CORE. A musculatura abdominal, paravertebral e do assoalho pélvico podem ser trabalhadas de diversas maneiras e é comum vermos alguns atletas tendo um bom desempenho nas posturas básicas de pranchas ventral, dorsal e lateral, porém será que eles conseguem levar esse bom desempenho destes músculos quando estão na prática do esporte? Desestabilizar o atleta durante a manutenção de uma postura de prancha é válido, porém talvez seja mais funcional pedir um movimento de arremesso com o braço enquanto faz uma prancha lateral a um atleta de handebol, por exemplo.

funcional4Logo, uma sugestão é pensar mais nos exercícios prescritos e adequá-los para se tornar um treino funcional, aproximar os movimentos aos gesto praticados no esporte, a fim de melhorar uma função. Um atleta que chuta não usa somente o quadríceps para tal movimento, dentre outros músculos envolvidos há o grupo dos adutores, posteriormente para frear o movimento da perna os isquiotibiais são acionados… Um fortalecimento analítico em maquinário de academia é parte imprescindível, tanto que é objeto de estudo dos fisiologistas, porém o fisioterapeuta poderia se preocupar com algo mais e adicionar movimentos combinados e cargas adequadas que resistam o movimento de modo que o treinamento, além do fortalecimento, se tornasse funcional para o movimento de chute.

Vale lembrar que treino funcional é diferente de treino de gesto esportivo. Neste, o intuito é restabelecer a biomecânica correta, prejudicada por qualquer motivo de lesão ou por deficiência técnica, o que é feito geralmente sem cargas externas ou instabilidades, sendo fiel a prática do esporte.

Ft. Fernando Cassiolato

Sobre o autor Fernando Cassiolato

Fernando Cassiolato escreveu 31 matérias nesse site.

Fisioterapeuta graduado pela USP, pós-graduado em Fisioterapia Esportiva pela CETE-UNIFESP e Acupuntura pelo IPES. Estuda Fisioterapia Esportiva Preventiva e atua na cidade de São José do Rio Preto.

2 Replies to “Treino funcional na fisioterapia esportiva”

  1. Otimo texto professor! Aqui na minha cidade os profissionais da ed. Fisica acham que só eles podemos trabalhar com o TF. Lamentavel.

    1. O treinamento funcional feito por um profissional de Educação Física é mais voltado para a melhora do rendimento. Já aquele feito pelo fisioterapeuta o foco principal é o aprimoramento biomecânico e prevenção de lesões. Há espaço para ambos trabalharem e quem tem a ganhar com isso e o próprio atleta ou paciente!

Queremos seu comentário...