Salto com Vara

O salto com vara é uma das mais belas e apreciadas provas do atletismo moderno. Os competidores utilizam uma vara longa e flexível para alcançar altura, com o objetivo de transpor uma barra (sarrafo).

Assim como a maioria das provas do atletismo, o salto com vara é considerarada uma atividade completa, pois exige do atleta diversas habilidades do corpo humano: concentração, força, velocidade e precisão de movimentos.

Esta modalidade esportiva implica numa técnica extremamente complexa, composta por quatro fases:

1-      Corrida de aproximação: fase em que o atleta corre numa pista de, no mínimo, 45 metros, parase aproximar do sarrafo. Essa corrida é extremamente técnica, pois além de exigir correta empunhadura e posicionamento da vara, o atleta deve saber o número de passos e o ponto em que iniciará a impulsão;

2-      Impulsão: imediatamente antes de iniciar essa fase, a velocidade da corrida diminui. O atleta, então, faz o encaixe da vara no solo durante o último apoio do pé antes do salto, ao mesmo tempo em que a vara é puxada para frente;

3-      Salto ou vôo: é nesta fase em que se alcança a flexão máxima da vara, visando o melhor posicionamento do corpo para a transferência de energia para a barra, o que impulsiona o atleta para cima num deslocamento vertical. Ao largar a vara, o atleta a empurra, tentando ganahr o máximo de altura para transpor o sarrafo com flexão de tronco;

4-      Queda: é realizada na continuidade dos movimentos feitos anteriormente, com o atleta caindo de costas para o colchão.

Até o início do século XX, as varas eram feitas de bambu ou madeira e, posteriormente, passaram a ser feitas de alumínio. Atualmente, as varas modernas são feitas de fibra de carbono ou fibra de vidro. Estas mudanças geraram grande diminuição do peso da vara e maior flexibilidade, e graças a estes avanços os recordes de salto com vara tornaram-se cada vez mais altos.

Como toda modalidade que não depende apenas do corpo humano para a execução do gesto esportivo, o salto com vara apresenta alguns fatores de risco extrínsecos, ou seja, independentes das condições físicas do atleta, como pudemos observar no último dia 08 de agosto, durante os Jogos Olipicos de Londres. O atleta cubano Lazaro Borges teve sua vara quebrada em três partes no seu primeiro salto. O acidente ocorreu na transição entre as fases de impulsão e salto. Apesar do susto e da queda do atleta, ele não se feriu e pode continuar na competição.

Ft. Thaís Bortolini Bueno

Sobre o autor spallafisioterapia

Spalla Fisioterapia escreveu 78 matérias nesse site.

A SPALLA Fisioterapia é uma equipe com enfoque na área de ortopedia e traumatologia. Nosso objetivo é ser um ponto de referência em reabilitação. Queremos conduzir com precisão nossa missão de promotores de saúde e proporcionar o retorno de nossos pacientes a sua prática esportiva ou ao seu dia a dia no melhor equilíbrio possível.

3 Replies to “Salto com Vara”

  1. Acho que vocês erraram a foto inicial. Aquela é uma foto do salto em altura, se não me engano é a Blanka Vlasic.

    1. Obrigado Daniel, já corrigimos e aproveitamos para homenagear a campeã olímpica Jennifer Suhr, dos EUA. Gostaríamos que fosse a Fabiana Murer, mas não foi desta vez.

Queremos seu comentário...