Reabilitação aquática

O processo de reabilitação da fisioterapia envolve cada dia mais diversas técnicas que tem por objetivo auxiliar na recuperação do paciente. Desde a antiguidade, a água é utilizada como uma modalidade terapêutica. Ainda, a hidroterapia foi utilizada como recurso na reabilitação de pacientes acometidos em guerras. Atualmente, esse recurso é cada vez mais utilizado na reabilitação de atletas.

A reabilitação na água tem algumas vantagens, sendo uma forma segura de melhorar a amplitude de movimento, força e resistência muscular, condicionamento cardiovascular, entre outras. Ao flutuar na água há uma menor descarga de peso e diminuição de forças compressivas nas articulações. Quanto maior a submersão, menor a descarga de peso nas articulações. Dessa forma, após uma lesão o atleta pode iniciar exercícios progressivos.

Já a resistência da água proporciona um meio de fortalecimento seguro e eficaz. A resistência pode ser realizada através de diferentes braços de alavanca, velocidade do movimento e turbulência da água. Pode-se utilizar equipamentos para aumentar essa resistência e trabalhar as diferentes variáveis do fortalecimento.

O terapeuta ao elaborar um programa de exercícios na água precisa conhecer as propriedades físicas para a sua melhor aplicação prática. Podemos fazer uma explicação mais simplificada desses princípios:

 

  • Peso específico (densidade relativa): determina se um objeto afunda ou flutua, de acordo no caso do corpo humano da sua composição corporal.
  • Flutuabilidade: é a força ascendente atuando no corpo em um líquido, quando este está total ou parcialmente imerso, este recebe um impulso ascendente igual ao peso do líquido deslocado.
  • Momento de força: a flutuabilidade pode ser vista como um momento de força, que é o efeito giratório da força ao redor de um eixo. A resistência ou facilitação do movimento irá determinar a força resultante, sendo o momento modificado de acordo com o comprimento do braço de alavanca e dispositivos de flutuação.
  • Viscosidade: é o “atrito” entre as moléculas de um líquido gerando resistência ao fluxo do líquido. Proporciona resistência ao movimento quando as moléculas da água “aderem” a superfície de um objeto que se movimenta na água. Além disso, a pressão positiva dificulta a progressão de um objeto no meio. O rastro que se forma atrás do objeto resulta em uma área de baixa pressão, refreando o objeto.
  • Pressão hidroestática: aumenta com a profundidade e densidade do líquido. Favorece ao retorno venoso

 Ainda podemos discutir os efeitos fisiológicos da imersão na água nos diferentes sistemas. No sistema cardiovascular, na água pelo efeito da pressão há o deslocamento do sangue e dos líquidos das extremidades inferiores e do abdome para o tórax. Esse aumento do volume sanguíneo, resulta no aumento do volume sistólico médio de cerca de 35%, já a freqüência cardíaca e a pressão arterial sofrem uma queda em decorrência do maior tempo de “enchimento” cardíaco e alterações hemodinâmicas do volume sanguíneo e do tônus venoso. O aumento do débito cardíaco proporciona mais sangue oxigenado aos músculos ativos. No sistema musculoesquelético, esse circulação mais eficiente, ajuda na remoção do dióxido de carbono e do ácido lático, atuando na diminuição da dor muscular. Ainda, o meio aquático favorece ao relaxamento muscular e diminuição de espasmos, minimizando o dor e permitindo maiores amplitudes de movimento.

A reabilitação na água pode ser um recurso na reabilitação de lesões principalmente de atletas. Deve-se considerar a lesão, o esporte e o perfil do atleta seguindo os objetivos do processo de reabilitação.

Ft. Gabriela Borin

Spalla Fisioterapia

Referências:

  1. Halson SL. Does the time frame between exercise influence the effectiveness of hydrotherapy for recovery? Int J Sports Physiol Perform. 2011 Jun;6(2):147-59.
  2. Hrysomallis C. Balance ability and athletic performance. Sports Med. 2011 Mar 1;41(3):221-32.
  3. Reabilitação física das lesões desportivas. Andrews JR, Harrelson GL, Wilk KE. 2ªEd, Editora Guanabara Koogan, 2000.

Fotos:

http://www.idswater.com/Common/header/Img-water.jpg

http://visionaquatics.com/Websites/visionaquatics/Images/deep%20water%20running.jpg

http://adventure.howstuffworks.com/outdoor-activities/triathlons/training/deep-water-running.htm

 

Sobre o autor spallafisioterapia

Spalla Fisioterapia escreveu 77 matérias nesse site.

A SPALLA Fisioterapia é uma equipe com enfoque na área de ortopedia e traumatologia. Nosso objetivo é ser um ponto de referência em reabilitação. Queremos conduzir com precisão nossa missão de promotores de saúde e proporcionar o retorno de nossos pacientes a sua prática esportiva ou ao seu dia a dia no melhor equilíbrio possível.

2 Replies to “Reabilitação aquática”

  1. Excelente informação. eu que to fazendo fisioterapia pós cirúrgica de tendão calcâneo foi maravilhosa, sem contar com os conceitos da física que foi bem detalhado.

    1. Olá Rafael,
      Obrigado por seu comentário! Esperamos que este post tenha lhe ajudado a compreender melhor alguns conceitos. A reabilitação na água pode contribuir bastante na recuperação da sua lesão.
      Boa reabilitação!

      Saudações,
      Equipe Spalla.

Queremos seu comentário...