Free Runnig – Arte do Movimento

O free running é uma modalidade esportiva onde os praticantes usam qualquer ambiente disponível para execução de movimentos dinâmicos de deslocamento e acrobacias. Derivada do Parkour (arte do deslocamento em que praticantes buscam a máxima eficiência para transpor obstáculos urbanos sem fins competitivos), o free runnig incorpora movimentos de ginástica artística, tricking, street stunts, street dance, artes circenses e artes marciais. Sua prática é feita preferencialmente em centros urbanos, pois estes ambientes dispõe de diversos obstáculos. É necessário um bom preparo físico para executar corretamente e com segurança os movimentos, porém o um apurado controle e consciência corporal e noção de espaço são as características mais exigidas do praticante.

A modalidade foi criada para ser a competição que une as artes do movimento. Na primeira volta cada um dos 20 participantes tem um minuto para adaptar seu estilo ao percurso. Oito atletas avançam para a final e assim se define o campeão na segunda volta. Nesta competição os freerunners são avaliados pelos jurados segundo quatro critérios: criatividade, ritmo, dificuldade e estilo.

O maior evento internacional de freerunning – Red Bull Arte do Movimento – foi realizado pela primeira vez no Brasil, depois de passar por outras grandes cidades do mundo, como Londres (Inglaterra) e Yokohama (Japão). O circuito foi montado no Paço das Artes, dentro da Cidade Universitária (USP), em São Paulo. Ao todo foram 20 atletas de sete países, incluindo seis brasileiros. Grandes nomes do Parkou internacional marcaram presença como: Jason Paul (Alemanha)Ryan Doyle (Inglaterra)“Luci Steel” (EUA) e Renatinho Queiroz (Jundiaí/SP).

Nossa equipe conseguiu conversar com o fisioterapeuta Hedras Russo de Freitas, que participou do evento e conta um pouco sobre esse esporte e seu trabalho nos dias de competição:

Spalla: Qual a atuação do fisioterapeuta neste tipo de competição?
Ft. Hedras: “Antes da competição pude interagir e conversar muito com os atletas; conhecendo assim mais sobre o esporte e a incidência e prevâlencia de lesões, visto que aqui no Brasil não é um esporte conhecido. No pré treino foi realizado a liberação muscular e fascial, aquecimento e bandagens funcionais”.

Spalla: Quais as lesões ou complicações que você mais encontrou durante o evento?
Ft. Hedras: “Pensando sobre as queixas do atletas eu encontrei: escoriações nas mãos, devido ao movimentos nas barras, traumas na região da canela, entorses de punho e tornozelo. Neste evento especificamento, meu maior trabalho foi sobre as queixas de fadiga muscular, onde procurei trabalhar relaxamento e diminuição de tônus muscular.”

Spalla: O que você julga ser necessário na preparação física dos atletas desta modalidade?
Ft. Hedras: “Como este esporte não é muito conhecido, não há um acompanhamento de profissionais qualificados a esses atletas. Se houvesse uma equipe multidisciplinar provavelmente a performance seria melhor”.

Spalla: Então o fisioterapeuta pode contribuir de que forma?
Ft. Hedras: “Contribuirá muito, pois o número de praticantes está crescendo bastante. Primeiramente na orientação, já que os atletas não tem nenhum acompanhamento, por exemplo: uma dos atletas, no evento, me contou que quando ele se lesiona, vai pra casa, toma banho e descansa para voltar a treinar do dia seguinte, não sabendo realmente a gravidade da lesão. Uma outra atleta sofreu um entorse de tornozelo há algum tempo, mesmo com o tornozelo edemaciado ela continuou treinando retirando apenas os movimentos com impacto. Hoje ela não consegue treinar normalmente e evita os movimentos que geram dor. Outro ponto que podemos ser importantes é na atuação pré treino e pós treino tentando solucionar as queixas decorrentes da prática, que são diferentes dos esportes convencionais.”

Lembramos que a prática desse esporte deve ser feita com responsabilidade e prudência, pois as lesões, principalmente com envolvimento cervical, podem levar a graves consequências. Confira no vídeo abaixo um pouco do que rolou no RedBull – Arte do Moviento – São Paulo 2011.

Ft. Fernando Cassiolato

Referências: RedBull Art of motion
Fotos/Vídeo: LuciSteelFabio Piva, RedBull

Sobre o autor Fernando Cassiolato

Fernando Cassiolato escreveu 31 matérias nesse site.

Fisioterapeuta graduado pela USP, pós-graduado em Fisioterapia Esportiva pela CETE-UNIFESP e Acupuntura pelo IPES. Estuda Fisioterapia Esportiva Preventiva e atua na cidade de São José do Rio Preto.

Queremos seu comentário...