Entorse em eversão de tornozelo – Uma lesão subestimada

entorse em eversãoA lesão de entorse de tornozelo é considerada um das lesões mais comuns na prática esportiva. Esta lesão é considerada leve e muitas vezes subestimada por pacientes e profissionais da saúde. É preciso ser criterioso na avaliação da lesão e tratar com seriedade as consequências. É comum observar a reincidência e muitas vezes o atleta evolui para a instabilidade de tornozelo.

O jogador Neymar, em janeiro deste ano (2014), durante uma partida da Copa do Rei, sofreu uma entorse de tornozelo e precisou deixar o gramado. Na imagem observamos que o jogador sofreu uma entorse em eversão com um componente de rotação do tornozelo. Segundo reportagem da Folha de São Paulo1 o médico da seleção brasileira de futebol, José  Luiz Runco, afirmou que “a lesão nos tendões fibulares do tornozelo direito não deve ter desdobramentos que ameacem sua participação na Copa do Mundo”. Porém, na mesma reportagem o médico fisiologista Turíbio Leite de Barros, professor da Unifesp, alerta que o jogador deveria se preocupar com seu tornozelo, que já seria a segunda ou terceira vez que ele sofreu uma entorse, sugerindo um trabalho de fortalecimento muscular, visando uma prevenção da reincidência dessa lesão.

A entorse de tornozelo pode ser considerada por muitos uma lesão sem maior gravidade, mas não deve ser tratada com menor importância, pois a longo prazo pode acarretar em déficits funcionais e lesões crônicas, que podem ser determinantes para o desempenho do atleta na prática esportiva.

A LESÃO

Há muitas lesões diferentes que pode ocorrer na articulação do tornozelo, mas a entorse de tornozelo é o mais frequente. Uma entorse de tornozelo normalmente acarreta em lesão aos ligamentos da articulação, mas pode apresentar outras lesões associadas, como a lesão nos tendões dos músculos fibulares. A entorse de tornozelo lateral é a mais comum. A entorse de tornozelo em eversão, apresentada pelo jogador Neymar na partida citada acima, também conhecida como entorse  em eversão envolve mecanismo de lesão de eversão e rotação externa. Entorses no complexo medial do tornozelo são menos comuns porque a biomecânica e anatomia da articulação do tornozelo permitem menor amplitude de eversão.

O ligamento principal da face medial do tornozelo é o ligamento deltóide, que é composto pelos ligamentos tíbio talar anterior e posterior, o ligamento tibiocalcaneo, e os ligamentos tibionavicular. Os ligamentos superficiais atravessam a talocrural e subtalar, enquanto que os ligamentos profundos passam pela articulação subtalar. As fibras o ligamento deltóide limitam a eversão do tornozelo, extensão e flexão.

A apresentação clínica do paciente é baseada na gravidade da entorse em eversão do tornozelo. Os sinais e sintomas normalmente apresentados pelo paciente são incapacidade de descarregar o peso, dor localizada na face medial, edema, entre outras. O teste de stress em rotação externa é usado para determinar a integridade do ligamento deltóide. Em comparação com o teste de estresse de abdução que enfatiza principalmente os ligamentos deltóide superficial, o teste de estresse de rotação externa enfatiza as bandas profundas do ligamento. O teste positivo é dor medial e deslocamento tálus.

O tratamento da entorse em eversão de tornozelo irá depender da avaliação criteriosa do caso e, normalmente, o tratamento conservador é o indicado quando não há avulsão óssea. É importante começar a série de exercícios de movimento livre de dor o mais rápido possível. A amplitude de movimento deve ser restaurada, além de trabalhar a estabilização, força, propriocepção e função. Talvez seja exatamente pelo fato de ser tratada como uma lesão simples e de menor gravidade que esta seja uma lesão tão comum. A entorse de tornozelo não deve ser subestimada. É preciso um trabalho continuo e eficiente de prevenção, o que deveria ser incorporado na rotina de treinamento.

Ft. Gabriela Borin

Referências:
¹Esportes – Folha de São Paulo
Fong DT-P, Hong Y, Chan L-K, Yung PS-H, Chan K-M. Sports medicine (Auckland, N.Z.). 2007;37(1):73-94.
Hintermann B, Knupp M, Pagenstert GI. Foot and ankle clinics. 2006;11(3):625
Hintermann B. Medial ankle instability. Foot and ankle clinics.

Sobre o autor Gabriela Borin

Gabriela Borin escreveu 18 matérias nesse site.

Fisioterapeuta graduada pela USP, pós graduada em Fisioterapia Esportiva pelo CETE/EPM/UNIFESP e Mestranda em Ciências pela FM/USP. Estuda Fisioterapia Esportiva e Controle Postural. Atua na cidade de São Paulo.

5 Replies to “Entorse em eversão de tornozelo – Uma lesão subestimada”

  1. Olá, Boa tarde! Eu tive uma entorse por eversão, ficou o edema, não tratei e continuei jogando bola, porém aconteceu novamente uma segunda vez. Eu consigo colocar o pé no chão, só está inchado o local. Será que tem chance de eu não ter rompido os ligamentos?

Queremos seu comentário...